Ordem do dia

por snf — publicado 22/12/2016 07h50, última modificação 22/12/2016 07h50
Vereador Carlos Nilo discursa na votação de projetos que estavam na ordem do dia da sessão do dia 21 de dezembro.

         Entre os projetos que entraram na ordem do dia de hoje (21) se destacaram primeiramente o Projeto de Lei Complementar 02 que: Exclui prédios do inventário do patrimônio cultural constante no anexo IX da Lei Complementar Nº 45 de 2006(Lei do Plano Diretor).

        Sobre este projeto o Vereador Nilo falou primeiramente que casa inventariada na lista do anexo IX do plano diretor não é imutável, esta poderá ser mexida, sim. Outro ponto há muito pede que se faça uma revisão destas propriedades como visão do coletivo e não caso a caso. O vereador acredita que este fato se deu por falta de pessoas especializadas em fazer esta divisão: o que pode sair e o que deve ficar. Falou sobre o desenvolvimento e o patrimônio histórico, que estes dois podem e devem caminhar juntos, é possível termos uma cidade desenvolvida e que conversa seus prédios, afirmou o vereador.

           Na concepção do vereador é um equivoco dizer que os prédios atrapalham o desenvolvimento da cidade. O Vereador usou a tribuna novamente antes de declarar seu voto e falou que “ Carlos Nilo”pessoa física entende que a audiência publica falou o que a comunidade deseja. O imóvel que se deseja tirar do inventario esta deteriorada e provavelmente, se não se tomar alguma providencia talvez venha a cair, como veio o laudo da arquiteta. O pensamento do “Carlos Nilo” é de que a casa seja retirada, porém, o Vereador Nilo acredita que não deve votar por sua vontade e sim como representante das entidades sociais e os conselhos, dos quais ele é oriundo. Salientou que jamais ira contra ao parecer do conselho ao qual presidiu, por isso declarou seu voto contrario ao projeto de lei.

           Outro projeto que entrou na pauta foi o 161/16 que trata da inclusão da atividade de óptico optometrista e da prestação de serviços da optometria, projeto do Vereador Nilo. Para defender este projeto o vereador relatou sobre a legalidade e a necessidade deste técnico estar trabalhando na nossa cidade. Hoje existe uma demanda reprimida, muito grande, de crianças, principalmente, da rede escolar que necessitam do diagnostico do optometrista para ser encaminhada para o oftalmologista, ou não, tudo depende do diagnostico que será feito.

        Falou sobre os casos que vão até Rosário do Sul para consultas, fazer o serviço de cuidados com a visão, sendo que se poderia evitar este desgaste já que muitos não precisariam ir, se resolveria com optometria em Santana do Livramento. "O vereador esclareceu que o optometrista e oftalmologista se complementam. O optometrista não cuida da doença e não receita medicamentos, este é o trabalho do oftalmologista. Mas entende de extrema importância termos optometrista na rede básica de saúde para um diagnostico precoce e um melhor aproveitamento escolar com qualidade de vida de nossas crianças e adolescentes." Publicou o  vereador em sua rede social.

Para saber mais acesse a rede social do veredor: https://www.facebook.com/carlos.nilo.733?ref=ts&fref=ts