Sessão plenária desta segunda-feira aborda temas relacionados a Secretaria da Educação

por Equipe Imprensa publicado 28/06/2018 10h37, última modificação 28/06/2018 10h37

A sessão ordinária desta segunda-feira (25) não teve ordem do dia e os vereadores logo iniciaram o grande expediente.

Dando início, o Vereador António Zenoir falou sobre o relatório feito pela Fundatec em auditoria na Santa Casa de Misericórdia. “Foram gastos 68 mil reais na auditoria e nenhuma das recomendações ali citadas foi seguida. Isso além da CPI feita pelos vereadores aqui na Câmara”, destacou.

Aquiles Pires se defendeu quanto aos comentários feitos pelos colegas vereadores sobre supostas acusações dele, em uma rádio local, em relação ao parlamentares que votaram favoráveis a um projeto do executivo meses atrás. “Minha fala foi tirada do contexto. Não devemos pessoalizar, mas sim fiscalizar e saber o que estamos votando", alegou Aquiles.

O Vereador Dagberto Lula Reis manifestou sua posição em relação à terceirização da merenda escolar. "O que motiva essa terceirização? 'Pra' que terceirizar?", questionou. Dagberto também fez comentários relacionados a ideologia do atual governo, dizendo que gestão está contrariando as raízes de seus princípios partidários.

O suplente de vereador Cabetinho, que hoje ocupa a cadeira do Vereador Danúbio Barcellos na Câmara Municipal - uma vez que o mesmo está como prefeito interino, abordou assuntos relacionados às latas de tinta encontradas no almoxarifado da Secretaria Municipal de Educação. "Os fatos precisam ser apurados independente de qual o governo responsável. O interesse principal é do município", salientou Cabetinho.

Evandro Gutebier manifestou-se quanto à situação das estradas rurais. "O que revolta os produtores, é que a fiscalização não falta, mas pelas estradas rurais nada é feito. Precisa-se explicar aos produtores o 'porque' da fiscalização, a necessidade do famoso carimbo, ninguém vai se opor", declarou.

Lídio Mendes Melado pronunciou-se em relação a fala do vereador Aquiles em uma rádio local na última semana. “É preciso dar nomes aos bois, senhor vereador. Quando se faz uma denúncia, precisa-se provas. Eu sou um dos vereadores que votou a favor do crédito especial, mas não ganhei cargo algum no governo, votei a favor por entender necessário para que o calendário escolar não fosse prejudicado”, salientou o parlamentar.

Luis itacir foi o último a usar a tribuna no grande expediente, fazendo alusão a terceirização no município salientando que será um grande erro para o crescimento de Sant’Ana do Livramento. “Vamos cuidar bem do dinheiro público, não existe forma da terceirização ser mais econômica que merenda fornecida pelo município".

Nas comunicações pessoais a Vereadora Maria Helena Alves Duarte rebateu as criticas ao Vereador Dagberto Lula Reis referentes a ideais políticos. Em sequência, o Vereador Maurício Del Fabro manifestou sua opnião sobre aumento de impostos adotado pelo governo para suprir o rombo de corrupções a nível federal. Galo também declarou que - sempre que depender do seu voto - será contrário a aumento de impostos.

Finalizando as comunicações pessoas, o Vereador Leandro Lula Ferreira lembrou a comunidade em relação a votação do Consulta Popular, que ocorrerá nos dias 26, 27 e 28 de junho.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.