Sessão Ordinária de quarta-feira

por Equipe Imprensa publicado 08/06/2018 09h58, última modificação 08/06/2018 09h58
Santa Casa e a terceirização da merenda escolar voltam a ser assunto durante a sessão.
Na sessão ordinária desta quarta-feira (06), seguida a ordem regimental, foram apreciados e aprovados por unanimidade os seguintes projetos de lei:

 

 PLO 73/2018 - autoriza a venda de semoventes e dá outras providências;
 PLO 74/2018 - altera as dotações constantes no ART. 1º da lei nº 7.347 de 16 de maio de 2018;
 PLO 77/2018 - autoriza a abertura de crédito adicional especial no valor de R$ 252.773,00 - SMO - Secretaria Municipal de Obras;
 PLO 78/2018 - autoriza a abertura de crédito adicional especial no valor de R$ 33.433,84 - SMAIS - Secretaria Municipal de Assistência e Inclusão Social.

Durante o grande expediente, os vereadores expuseram suas manifestações em relação à Santa Casa, tema bastante discutido ao longo de várias sessões, comentando sobre a reunião que aconteceu pela manhã desta quarta-feira no gabinete do prefeito Ico Solimar Charopen. Outro tema discutido, foi relacionado à terceirização da merenda escolar no município.

Dagberto Lula Reis – PT mencionou que os vereadores precisam unir-se em benefício da Santa Casa e da comunidade santanense. “A Santa Casa não é um embate politico”, afirmou o parlamentar.

O Vereador Leandro Lula Ferreira – PT ratificou os temas já abordados por seu colega Dagberto e falou sobre uma emenda enviada por um deputado de seu partido. “Não dá para ficar apenas com essas discussões de fazer reunião, fazendo audiências publicas, deve-se encontrar uma solução imediata. Também aproveito para falar sobre uma emenda de custeio enviada pelo deputado Paulo Pimenta - PT, esta que poderá ser utilizado para o pagamento dos salários”.

Lidio Mendes Melado – PTB, dando continuidade ao grande expediente, cobrou uma postura dos vereadores para encontrar um desfecho definitivo para a Santa Casa. “Vamos debater de cara limpa!”, salientou o vereador. Manifestou-se também em relação a embates entre imprensa e o poder executivo. “Onde vai parar esta briga infantil entre poderes? Quem perde é o município”, explanou o parlamentar.

O vereador Luis Itacir – PT mencionou a falta de atitude do município em tomar decisões e que, pela falta de recursos econômicos, não exista a possibilidade de efetuar a terceirização da merenda escolar. “Não tem como terceirizar! Não dá certo neste pais, não dá certo no estado, não dá certo nos municípios”, concluiu Itacir.
A parlamentar Maria Helena Alves Duarte – PDT se contrapôs a fala dos colegas vereadores em relação a uma possível terceirização da merenda escolar. “Tanto se fala em terceirização. Apenas existe um estudo para tentar encontrar uma solução. Se não existir estudo, não tem porque terceirizar”.

Finalizando o grande expediente, o vereador Mauricio Galo Del Fabro – PSDB, em consonância com o vereador Lidio Mendes, falou sobre os desacordos entre imprensa e poder publico. “Vamos parar de 'picuinhas', brigar por futilidades”, comentou Galo. O parlamentar também salientou a importância da vinda de emendas para auxiliar o desenvolvimento do município. “Hoje a maior empresa falida em Livramento é a prefeitura. Se não houver emendas o que acontecerá com a cidade? Irá continuar sem estrutura, sem planejamento, sem organização. Este é o único recurso barato para adquirir instrumentos”, explanou o vereador.

Nas comunicações de liderança, o parlamentar Carlos Nilo – PROGRESSISTAS fez uso da tribuna para pesar o falecimento do médico e empresário Mozart Mattar Hillal, falecido na manhã desta quarta-feira (06), solicitando um minuto de silêncio.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.