Santa Casa permanece como tema a ser discutido pelos parlamentares nesta quarta-feira

por Equipe Imprensa publicado 28/06/2018 11h24, última modificação 28/06/2018 11h24

Na manhã desta quarta-feira (27), ocorreu sessão ordinária que teve como ordem do dia os seguintes projetos de lei, apreciados e aprovados:

- PROJETO DE LEI ORDINÁRIA Nº 82: autoriza a abertura de crédito adicional especial no valor de R$350.000,00 - Secretaria Municipal de Saúde.

- PROJETO DE LEI ORDINÁRIA Nº 83: autoriza a abertura de crédito adicional especial no valor de R$450.050,00 - Secretaria Municipal de Assistência e Inclusão Social.

Dando início aos pronunciamentos dos parlamentares, anteriormente à iniciação do grande expediente, o Vereador Maurício del Gabro solicitou uso da comunicação de liderança. O parlamentar utilizou a oportunidade para tornar público que é pré-candidato a deputado estadual.

Passando ao grande expediente, a Vereadora Maria Helena foi a primeira a fazer uso, onde se declarou insatisfeita com as explicações dadas pelo Sr. Wainer Machado - gestor da Santa Casa de Misericórdia - na manhã de ontem (26). "Ficamos no zero a zero, concluo que não há controle algum no hospital", afirmou Maria Helena.

Maurício del Fabro, desta vez em grande expediente, foi ao encontro do pronunciamento da vereadora que lhe antecedeu. "Eu não entendo a função do administrador da Santa Casa, não sei que tanto tem a esconder", declarou del Fabro.

O Vereador Romário Paz também manifestou-se em relação às explanações feitas por Wainer Machado. "Não consigo acreditar que o Sr. Wainer não saiba o que acontece dentro do hospital, não soube responder meus questionamentos. Imaginem se nós, como administradores da nossa casa, não soubessemos o que acontece lá", disse Romário.

Antônio Zenoir, não diferente dos demais vereadores, remeteu-se à reunião com a administração do hospital. "É uma vergonha os vereadores precisarem intervir constantemente na Santa Casa", declarou Zenoir.

Aquiles Pires diz acreditar que a solução para o hospital é cortar os salários mais altos. "Acredito que os grandes salários precisam ser cortados, mas também é importante para a Santa Casa que tenhamos um gestor da área da saúde à frente da instituição", afirmou.

O Vereador Carlos Nilo, último a fazer uso do grande expediente, além de abordar assuntos já tratados pelos demais vereadores, falou também sobre a impunidade de figuras políticas do âmbito federal. "É um absurdo a soltura destes políticos pelo STF, é isso que denigre a classe política", declarou Nilo.

Passando para a comunicação pessoal, o Vereador Dagberto Lula Reis diz faltar esclarecimentos em relação aos salários da Santa Casa. "Em um relatório que recebemos aqui, só tem valores totais, não está específicado valores individuais de salários", declarou Dagberto.

O Vereador Danúbio Barcellos, presidente da Câmara Municipal, abordou seu posicionamento quanto à falta de credibilidade da classe política. "Eu acredito que após estas eleições nós teremos uma melhora na classe política, mas infelizmente muitos eleitores ainda não estão preparados para escolha de seus candidatos, as pessoas esquecem das coisas", declarou.

Pedrinho Santa Fé manifestou seu repúdio a um fato ocorrido em sua rede social na última semana. "O senhor João Carlos Pereira, presidente do Sindicato dos Comerciários, comentou em uma uma publicação familiar na minha rede sociail, onde eu expressei a minha felicidade pelo nascimento da minha neta, dizendo que sou contra a categoria comerciária e que tirei direitos dos trabalhadores. Se este senhor tiver algo contra mim, pode me abordar em qualquer lugar e dizer, eu não me escondo", desabafou Pedrinho.

O parlamentar Lídio Mendes, que utilizou comunicação pessoal e de liderança, elencou informações relacionadas a denúncias feitas por ele em sessões anteriores. "A questão relacionada a licença saúde tirada por um cargo em comissão do município, solicitei informações no controle interno que recomendou ao prefeito a abertura de sindicância. Quanto ao uso do estacionamento da Prefeitura por carros particulares, acho absurdo diante da população buscando vaga e os vereadores lutando por estacionamento rotativo", declarou.

Finalizando as comunicações pessoais, o Vereador Itacir Soares manifestou sua preocupação quanto a aprovação de projeto de lei federal que flexibiliza o uso de agrotóxicos em todo território nacional. "Pesquisas já apresentam que no Brasil, 26% das pessoas morrem de câncer, e ainda assim vamos incentivar o envenenamento", desabafou.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.