Projetos de irrigação

por snf — publicado 13/02/2019 07h50, última modificação 14/02/2019 10h30
Legislativo Santanense integrará grupo de debates sobre projetos de irrigação

O presidente da Câmara de Vereadores de Livramento, Maurício “Galo” Del Fabro, já confirmou que o Poder Legislativo Municipal estará representada em um grupo de trabalho que vai discutir ações e políticas públicas para a promoção da agricultura irrigada e para o desenvolvimento regional por meio do apoio ao setor produtivo. O assunto estará em pauta na Oficina de Planejamento do Pólo de Agricultura Irrigada da Bacia do Rio Santa Maria, que será realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Regional e Urbano do Rio Grande do Sul na próxima terça-feira, 19, no município de Dom Pedrito.

Galo Del Fabro recebeu o convite em mãos do presidente da Associação dos Usuários da Água da Bacia Hidrográfica do Rio Santa Maria – AUSM, Edison Moreira Silva, durante audiência realizada no Gabinete da Presidência da Casa. Acompanhado pela agrônoma santanense Lorena Ratto Padilha, que integrou o Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Santa Maria, Edison Silva fez questão de entregar pessoalmente o convite ao Presidente da Câmara Municipal de Livramento, oportunidade em que apresentou também um breve relato da atual situação dos projetos e investimentos que já estão em desenvolvimento visando à ampliação da área irrigada na região Fronteira Oeste.


O objetivo da AUSM é a continuidade das obras de construção e ampliação das barragens do arroio Tacuarembó, entre Dom Pedrito e Lavras do Sul, que vai beneficiar diretamente uma população de 88 mil pessoal na região, com três grandes canais de irrigação, e; do arroio Jaguari, entre Lavras do Sul e São Gabriel, que beneficiará uma população de 113 mil pessoas também com três canais. As barragens terão implicação direta no desenvolvimento socioeconômico da região, através do uso nas áreas da irrigação para lavouras de soja, milho, arroz, pastagens e outros, na fruticultura, no lazer e turismo, na piscicultura e aquicultura e, inclusive, no abastecimento público. São investimentos diretos na ordem de R$ 740 milhões dos governos Federal e Estadual e outros R$ 1,24 bilhão por parte da iniciativa privada, para pleno uso do sistema, com a geração, ainda, de 4.700 empregos e uma produção anual estimada de R$ 317 milhões.


“Há muitos anos a nossa região enfrenta grandes dificuldades para o seu desenvolvimento. Nossos jovens acabam buscando oportunidades em outros Estados e até internacionalmente e os produtores cansam em razão da falta de condições e de apoio para a atividade produtiva que gera riquezas para nossa terra. Temos sim que estar presentes, participar e ajudar a buscar os meios e investimentos que nos proporcionem as condições para a promoção do nosso crescimento e do desenvolvimento harmônico da nossa região”, defendeu Galo, garantindo a participação do Legislativo santanense na Oficina de Planejamento do Polo de Agricultura Irrigada da Bacia do Rio Santa Maria.

registrado em: