Mais uma vez Santa Casa é tema de debate na sessão ordinária

por Equipe Imprensa publicado 02/10/2018 08h42, última modificação 02/10/2018 08h42

Nesta segunda-feira (01), ocorreu no plenário João Goulart a primeira sessão ordinária do mês de outubro, como de praxe, foi feita a leitura do expediente pelo Secretário Antônio Zenoir, não havendo ordem do dia, logo dado início ao grande expediente.

Os parlamentares manifestaram-se sobre um possível leilão da Santa Casa de Misericórdia, solicitando uma intervenção de todos os vereadores para que acionassem contato com o prefeito e se possa buscar a prorrogação por mais tempo ao novo administrador.

Fazendo uso da tribuna, os parlamentares expuseram suas colocações sobre o assunto. Itacir Soares manifestou sua posição referente ao hospital. “Santa Casa jamais poderá se tornar uma entidade particular. O hospital precisa ser uma entidade pública, pois é da comunidade santanense, para atender aos que mais precisam aqui. Nós precisamos renegociar as dívidas”, declarou Itacir.

Marco Monteiro também abordou sobre o assunto, entrando em concordância com o colega que o antecedeu. “A realidade desse leilão é o resultado de uma série de descasos da administração. Isso só reforça a participação de todos os vereadores que aqui tiveram, para uma tentativa de dar a administração da Santa Casa, passar a uma pessoa competente”, disse o parlamentar.
Ainda tendo como pauta a Santa Casa, o Vereador Aquiles Pires reforçou. “Ficamos chateados com tudo isso, mas é algo que podemos reverter. Tanto pelo valor, como pelo procedimento processual. Existe a possibilidade de parcelamento e acredito que superaremos por de pronto”, disse Aquiles. O parlamentar também usou a tribuna comunicando a situação das lojas francas no município. “O programa que regulamenta as cotas de compra, o valor e o funcionamento das lojas francas foi finalizado pela receita federal. Todos os empresários interessados em abrir free shops nas onze cidades de fronteira, especialmente em Livramento, já podem requerer”, comunicou o vereador.

Carlos Nilo, logo após o colega vereador Aquiles Pires, pronunciou-se sobre a legalização da abertura das lojas francas. “É uma conquista que me deixa extremamente feliz. Temos que comemorar, isso significa desenvolvimento ao nosso município e geração de emprego. Devemos comemorar de mãos dadas por ser umas das cidades beneficiadas. Agora devemos aumentar e melhorar a infraestrutura urbana do nosso município para estar preparados para as lojas”, salientou o parlamentar.

Leandro Lula Ferreira usou a tribuna para comunicar sobre o projeto Minha Casa Minha Vida Entidades. “Foi autorizado a contratação de mais 225 unidades habitacionais em Sant’Ana do Livramento. Virá cerca de 15 milhões de reais a Livramento, no mínimo 2 anos de trabalho e temos até 3 meses para a autorização dos contratos e início as obras. Uma grande conquista para quem sonha com a casa própria”, declarou Leandro.

Finalizando o grande expediente, Dagberto Lula Reis se declarou feliz pelas conquistas citadas pelos colegas vereadores. Dagberto também manifestou-se sobre a empresa Coofitec. “Hoje a Coofitec enfrenta um novo problema. O prédio foi vendido e eles devem sair do lugar de onde estão. Estão tentando tirar os trabalhadores meio que na marra, com um valor simbólico, para que os proprietários possam receber o recurso para a empresa que adquiriu a área. Virá o projeto do comodato e iremos aprová-lo, e vamos manter 50 empregos diretos em Livramento e 500 empregos indiretos na cadeia da lã”, comunicou o vereador.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.