Moção de Apoio à manutenção da EMATER/ASCAR

por Gilmar Ayres Silveira Nunes publicado 27/11/2019 08h50, última modificação 29/11/2019 12h55
Legislativo Santanense aprova Moção de Apoio à manutenção da EMATER/ASCAR que tem como objetivo de auxiliar as instituições diante do risco de que venham a ser atingidas e foi provocada pela circulação de carta de apoio à Emater que circula no Estado.
Moção de Apoio  à manutenção da EMATER/ASCAR

Vereador Maurício (Galo)recebe documento de representante da EMATER

A Câmara Municipal de Vereadores aprovou por unanimidade, na sessão ordinária desta terça-feira, 26, uma moção de apoio à manutenção das atividades da EMATER-RS/ASCAR, instituições ligadas à Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul que prestam importante serviço de fomento à produção, em todos os níveis do setor primário e especialmente no suporte aos pequenos e micro produtores que garantem a base da economia gaúcha.


A moção de apoio foi sugerida pelo próprio presidente do Poder Legislativo santanense, vereador Maurício “Galo” Del Fabro, e formalizada pela Mesa Diretora da Casa, com o objetivo de auxiliar as duas instituições diante do risco de que venham a ser atingidas pelas medidas de adequação administrativo-financeira propostas e anunciadas pelo Governo do Estado.


A moção foi provocada principalmente pela carta de apoio à Emater que circula no Estado, como parte do movimento “S.O.S. Emater: Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental só com Extensão Rural”, que alerta para a importância do trabalho realizado há 64 anos pela Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural-ASCAR, criadas em 1955, e pela EMATER, criada em 1977.

 

“São instituições que prestam relevante e até mesmo indispensável serviço à sociedade gaúcha e brasileira, oferecendo suporte tanto na área técnica quanto operacional para o setor produtivo, alcançando com a qualidade da assistência prestada todos os tipos de propriedades da cadeia da produção”, defende Galo.

 

Além disso, apesar dos grandes benefícios do trabalho realizado pela EMATER RS/ASCAR, segundo justifica o Presidente da Câmara de Vereadores, a atividade tem custo baixíssimo para o Erário. “Na verdade, isso é investimento e não gasto, se considerarmos os reflexos altamente positivos na economia como um todo, na área social, na garantia de saúde para a população através da produção de alimentos cada vez mais saudáveis e em maior quantidade e qualidade, enfim”.